quinta-feira, 14 de setembro de 2017

TEXTO 98/2017/ CONTO/ RARIDADE NO MUNDO ATUAL


                                                    RARIDADE NO MUNDO ATUAL



               Elza nasceu na zona rural e sempre morou com a família. Vinha de trem até a cidade para estudar. Pessoa simples, educada, respeitosa, amiga. Quando estava com dezoito anos foi morar com duas tias solteiras no Rio de Janeiro.
              Lá começou a trabalhar, fez amizades, e viveu durante muitos anos.
              Arrumou namorado e estava se preparando para formar sua própria família.
              Sempre foi muito amorosa e fiel. Pautava sua vida em bases claras de fidelidade, solidariedade e confiança. Acreditava que as pessoas eram todas iguais.
Vale dizer que foi criada à moda antiga. Namoro era sem intimidades. Era moça casta e assim fez questão de permanecer. Confiou durante os primeiros anos até que descobriu que o namorado era diferente. Decepcionou-se,
         Rompeu o relacionamento. Sem brigas, sem escândalos e sem rancor.
Não era de sua natureza ser rancorosa.
Mudou-se para outra cidade e foi morar com a mãe, irmão, cunhada e sobrinhos.
             Dedicou-se ao trabalho, à família e aos amigos.
            Há trinta anos a conheci quando retornou à cidade natal.
            A conheci em nosso local de trabalho assim que se transferiu. Desde essa época é como uma pessoa de minha família. Sabe todas as datas de nascimento de meus filhos, meus netos, podemos não nos ver toda semana, mas somos irmãs de alma. Quando me visita traz a alegria, o coração e uma sacola de presentes, literalmente. Compra o que sabe que os amigos gostam e vai guardando para presentear.
              Em datas festivas presenteia todas as crianças de seu edifício, no inverno tricota blusões de lã e mantas para as pessoas carentes.
              Ajuda parentes, amigos, e, quando recebeu por testamento uma herança, dividiu com o irmão e primos.
              Jamais brigou com qualquer pessoa, tem uma coleção de amigos que datam da infância, dos locais onde viveu e trabalhou.
              Há dois anos passou o aniversário na Europa. Realizou um grande sonho.
              Próximo ano ela completa 80 anos.
              Admiro seu caráter, sua bondade e agradeço sua amizade nestes anos todos que              convivemos.

                                                          Isabel C S Vargas
                                                                 13.09.2017
             

PUBLICAÇÃO DIÁRIO DA MANHÃ 30/2017/ FAROL DO AMOR


O FAROL DO AMOR

É benção que alguns recebem,
E torna a vida mais bela.
 Muda o brilho no olhar,
Enfeita a face de quem ama.

O farol é luz que resplandece,
Torna a todos iluminados.
Atinge quem ama, os que estão ao redor
Recebendo este nobre e belo sentimento.

É algo que torna feliz.
Dá sentido à vida,
Enobrece as almas,
Estabelece uma corrente de paz.


Isabel C S Vargas

Publicado no Diário da Manhã/Pelotas/RS
Data:2017.09.14/Quinta-feira/página 19

SELECIONADOS PARA A 5ªEDIÇÃO DA REVISTA LITERALIVRE

















Agradecemos aos 552 amigos que nos enviaram seus trabalhos!!
A revista sairá na segunda quinzena de setembro.
Parabéns aos selecionados!!!


Selecionados para a 5ª edição:

A Espera de Pantera - Daniela Genaro - São Paulo/SP
A Santa – Luis Amorim – Oeiras – Portugal
Aberrações da Luz - Mickael Alves da Silva – Iguatu/CE
Aldravias – Amélia Luz – Pirapetinga/MG
Aleluia! Chuva No Sertão! - Edilson Leão - Urandi – Bahia
Amor, Estranho Amor – Rosana Rodrigues – Duque de Caxias/RJ
Antes do Voo - Charles Burck – Rio de Janeiro
Antropofagia Secular - Diego Teles – Ilhéus/BA
Anú Preto (fotos) – Leo Dias – Porto Alegre/RS
Anunciação da Primavera - Ugo Soares – Juiz de Fora/MG
Apocalipse - Luiz Roberto da Costa Júnior – Campinas/SP
Arquétipos Mergulhadores - Sandra Maciel Barreto – Fortaleza/CE
Artista do Mês – Márcio Apoca – Campo Mourão/PR
As Gotas Mágicas - Maria Rosa de Miranda Coutinho - Joinville – SC
Atenção às Perguntas - Eduard Traste – Florianópolis/SC
Autossuficiência Insuficiente (Tirinha) - Omar Sanchez – Popayán/Colombia (desenho) Adriano Vilas Bôas – Jacareí/SP (roteiro)
Boa Noite - Lucas Santos de Oliveira – Niterói/RJ
Caçamba - Victor Rosa – Ituiutaba/MG
Caleidoscópio Pinoquiolar - O carvalho - Raul Cazi - Itabaiana/SE
Carta ao caro Belchior, - Lig Aruom - São Luis – MA
Desilusão – África Gomes – Luanda - Angola
Desordem e Regresso - Edison Gil – Sorocaba/SP
Devastação da Natureza – Rosimeire Leal da Motta Piredda - Vila Velha/ES
Dia Chuvoso – Eni Ilis Rivelino – Campinas/SP
Entre - Tatiana Angèle de Carvalho – Bordeaux - France
Epitáfio 2. A conversa - Sandra Modesto - Ituiutaba/MG
Estranho na Madrugada – Letícia Ucha – Porto Alegre/RS
Eu bebo sozinho - Vitor Luiz Leite – Rio de Janeiro - RJ
Extremos - Aparecida Gianello dos Santos – Martinópolis/SP
Fábrica De Gente - David Ferreira de Carvalho – Piracaia/SP
Flores De Papiro - Leandro Martins de Jesus – Itapetinga/BA
Frase - Ricardo Moncorvo Tonet – Amparo/SP
Guardiões do Futuro - Gerson Machado de Avillez – Rio de Janeiro/RJ
Haikai Engraçadinho – Jorginho da Hora – Bahia
Horizonte - Tomás de Oliveira Bredariol - Rio de Janeiro/RJ
Hospício - Agoulart - Cachoeiro de Itapemirim/ES
Kalimera - Ovidiu Marius BOCSA – Romênia
Lágrima - Fernanda Soares Junqueira - Ribeirão Preto /SP
Lembranças Sem Rosto - Nilde Serejo - São Luís/MA
Leonora - Paulo Luís Ferreira - São Bernardo do Campo/SP
Luto - Susana Leonor Neves Campos – Guarda – Portugal
Luzia-Homem – Marco Zero do Regionalismo – (Artigo) Gilmar Duarte Rocha – Brasília/DF
Morcego - Poeta Arara Azul
Morte e Vida Nordestina - Roziele Lima Silva – Bahia
Não Se Queixe, Cante, Dance, Escreva… - Isabel C S Vargas – Pelotas/RS
Névoa - Hilário Aires - Batatais/SP
O Amor de Lua - R. Pagã – Recife/PE
O beco de Tilia - Ana Lúcia Magela - Monte Alegre do Sul/S.P
O Inferno Assombrado Por Dúvidas -Ricardo Ryo Goto – São Paulo/SP
O Mendigo do Viaduto do Chá - Regina Ruth Rincon Caires – Araçatuba/SP
O menino - Renato Pires – Massapê/CE
O Poço - Alberto Arecchi – Pavia – Itália
O que penso, e os outros? - Paulo Luís Ferreira - São Bernardo do Campo/SP
O Rei da Asa Branca – (Foto Poema) Beco da Preta – São Luiz/MA
O Segredo – Gabriel Araujo dos Santos – Campinas/SP
Parodiando Ferreira Gullar - Gilberto Moura - São Luis/MA
Primeira Desilusão - Sonia Regina Rocha Rodrigues – Santos/SP
Promessa - Reinaldo Fernandes - Brumadinho – MG
Qual a razão de escrever? - Gilmar Duarte Rocha – Brasília/DF
Querer - Carlos Azevedo - Santa Marinha do Zêzere-Baião- Portugal
Resistência- Marina Moreno Gentile - São Paulo/SP
Sem Razão - Aldenor Pimentel – Uberlândia/MG
Senha - Ramon Carlos – Florianópolis/SC
Seu Telefonema - Lenilson de Pontes Silva – Pedras de Fogo/PB
Sobre o Tempo - Tim Soares – Florianópolis/SC
Tarado de Fila - Cláudia Cristina Mauro – Guaratinguetá/SP
Trabalhinho – Hilton Görresen – Joinvile/SC
Viva o Extraordinário - Paulo Cezar Alves Monteiro- Florianópolis/SC


quarta-feira, 6 de setembro de 2017

TEXTO 97/2017/ A MOÇA




A moça com brinco de pérolas

é uma linda tela com efeito tridimensional

Que encanta quem a observa

por sua forte expressividade.



Confesso não saber o artista.

Como saber não ocupa espaço

Fui logo pesquisar o autor

E descobri ser o pintor holandês Johannes Vermeer.

Isabel C S Vargas

OS CONFRADES DA POESIA 88 /SETEMBRO 2017

ESSE TEU JEITO


 Esse teu jeito doce de me olhar
 Preenche meu coração.
 Esse teu jeito de sorrir 
Traz alegria ao meu viver. 
Esse teu jeito de falar 
É um motivo para te amar. 
Esse teu jeito
 Enternece meus sentidos. 
Teu afago tem a leveza da flor.
 Teu cheiro penetra meu olfato
 E deixa-me inebriada. 
Esse teu jeito de ser
 É o que me prendeu a ti.



 Isabel C S Vargas 
 Pelotas-RS-Brasil
página 5/16


LAMENTO 


A falta de amor que assola o mundo, 
A corrupção que a tudo emporcalha,
 A mentira que mancha a alma, 
A falta de caráter que compromete o futuro. 
 Lamento pelo que perdeu a vida 
Por falta de atendimento; 
Por aquele que tem fome apesar de trabalhar. 
Lamento a falta de hospitais 
Por falta de consciência. 
A falta de instrução por não ter escola.
 Lamento pela mãe que chora a perda do filho;
 Pela criança que perdeu o pai no crime,
 Pela professora que perdeu o emprego 
Por todos aqueles que perderam a vergonha. 
Pelos que labutam
 E são ludibriados, 
Pelos que não tem fé
 E diante de tudo perderam a esperança. 

 ISABEL C S VARGAS 
Pelotas/RS/Brasil 
página 
14/16

terça-feira, 5 de setembro de 2017

CONCURSO FOGUEIRA CIGANA/PEAPAZ/PARTICIPANTES E RESULTADOS


Participantes:
Categoria Poema:
Paulo César.FOGO DE AMOR
José Hilton Rosa. Fogueira cigana, sem tristeza
Isabel Cristina Silva Vargas.FOGUEIRA CIGANA
Dione Fonseca de Barros. Chamas na alma.
Lucineide Sampaio.FOGO DA PAIXÃO
Nina Costa.CHAMAS VIBRANTES
Eri Paiva. DANÇA DO FOGO
João Pereira Correia Furtado.TROVA - FOGUEIRA CIGANA
María Cristina.FUEGO EN LA MUSICA
José Santiago .CREPITA UN GRITO CALLADO
Leti Ribeiro . DANÇA NA FOGUEIRA
Viviane Schiller Balau. FOQUEIRA CIGANA
Categoria Prosa:
Isabel Cristina Silva Vargas.FOGUEIRA CIGANA (PROSA)
João Pereira Correia Furtado. A MULHER DA FOGUEIRA
José Santiago.UN CUENTO DE FUEGO
Categoria Imagens:
Isabel Cristina Silva Vargas
Resultado:

Categoria poema

Primeiro lugar:
María Cristina.FUEGO EN LA MUSICA 

Segundo lugar:
Dione Fonseca de Barros. Chamas na alma.
José Santiago .CREPITA UN GRITO CALLADO

Terceiro lugar:
Nina Costa.CHAMAS VIBRANTES

Menção honrosa:
Eri Paiva. DANÇA DO FOGO

Menção Honrosa:
Paulo César.FOGO DE AMOR
Isabel Cristina Silva Vargas.FOGUEIRA CIGANA 

Categoria Prosa:

Primeiro lugar
Paulo César.A NOITE DA VOZ DO FOGO 
Segundo lugar:
José Santiago.UN CUENTO DE FUEGO
Terceiro lugar:
João Pereira Correia Furtado. A MULHER DA FOGUEIRA
Menção Honrosa:
Isabel Cristina Silva Vargas.FOGUEIRA CIGANA (PROSA)
Categoria Imagens
Primeiro lugar:
Isabel Cristina Silva Vargas
Segundo lugar:
Julgadores:
Sílvia Mota
Maria-José Chantal F. Dias