sexta-feira, 14 de julho de 2017

TEXTO 83/2017 /FOGUEIRA CIGANA/ PROSA


                                            FOGUEIRA CIGANA (PROSA)


O fogo é algo de suma importância na história da humanidade. Foi a partir de sua descoberta que o homem passou a fazer utensílios de aço, de ferro e de cobre, a cozinhar os alimentos.
 Da sua utilização doméstica surgiu a utilização para toda a comunidade.
 Espantavam os animais selvagens, davam sinais aos demais, utilizavam para iluminar a chegada das embarcações na costa. Faziam as fogueiras com diversas finalidades.
O fogo servia para salvar os indivíduos do frio.
Na cultura cigana o fogo faz parte de um ritual milenar. Ao acender a fogueira o objetivo não é só dançar ao seu redor, mas invocar seus ancestrais. É um momento de muito respeito e reverência. Pode ser um ato de iniciação.
Ao acender a fogueira e dançar, estão a   pedir boas energias, esperança, confiança, vida longa e prosperidade. 
Os movimentos, que fazem ao dançar em volta da fogueira, agita o ar que alimenta as chamas e renova as energias. Trata-se de um ritual usado, inclusive, em nascimentos, casamentos, batismos e desencarne.
São as mulheres que dançam. Não importa a idade. Cada dança é diferente da outra, representando a ancestralidade própria.
Dizem que é possível ver o espírito de cada uma executando a dança ao redor da fogueira.
É de grande importância que todas as mulheres ao dançar não sintam sentimentos mesquinhos, como inveja, ódio, raiva, disputa ou incompreensão. 
O importante são as energias boas.
Na dança revelam sua história, seus amores, suas alegrias e tristezas.
É como se exorcizassem todas as coisas negativas.
Um lindo processo de catarse e renovação.
Diria que a dança cigana ao redor da fogueira alivia o coração de quem dança, tornando-a uma pessoa mais feliz.
                                             Isabel C S Vargas
                                         

Nenhum comentário:

Postar um comentário